Prefeito participa da inauguração do Hospital Infantil Cosme e Damião
 
Data Publicação : 25/6/2012 - Saúde
A dificuldade de gerir o setor da saúde foi o assunto abordado pelo prefeitode Porto Velho, Roberto Sobrinho, na solenidade de inauguração do HospitalInfantil São Cosme e Damião, do Governo do Estado. Na solenidade ocorrida nestasegunda-feira, 25, o prefeito afirmou que mesmo com todos os investimentosfeitos na área, para a população o setor da saúde continua sendo o gargalo daadministração pública seja federal, estadual ou municipal. “Na prefeitura temosinvestido muito na saúde para oferecer um serviço de qualidade à população.Mesmo assim, se for feita uma pesquisa de opinião pública, esse será o setormais deficiente na opinião da população. Mas isso acontece porque a visibilidadesó é dada as coisas negativas. Não se vê nenhuma reportagem falando que ummédico, num esforço extraordinário, conseguiu salvar várias vidas. Esse que éum fato positivo não aparece, mas o negativo sempre vem à tona”, disse.


Unidades &Especialidades

 

Só em Porto Velho, lembrou o prefeito, foram construídas mais de 20unidades de saúde no núcleo urbano e nos distritos, um Centro de EspecialidadesMédicas e duas Unidades de Pronto Atendimento (Upas), que funcionam comopequenos pronto-socorros — uma na zona leste outra na zona sul —, que serãoentregues à população nos próximos dias. “Fora essa intervenção para ampliar emelhorar a rede física da rede, em sete anos conseguimos aumentar o número deequipes do Programa Saúde da Família de treze para mais de oitenta epretendemos fechar o ano com cem equipes levando a cobertura a oitenta porcento do município. Mesmo assim, para a população, isso ainda é pouco”, disse.

              Aogovernador Confúcio Moura, o prefeito lembrou que construir unidades de saúde éo lado mais fácil, o difícil é dar manutenção ao estabelecimento. O prefeitoafirmou ainda que o hospital inaugurado irá contribuir para dá um tratamentomais humanizado as crianças e adolescentes que necessitarem de cuidados médicose afirmou que muitos dos problemas herdados pelo atual governador é fruto dafalta de investimentos no passado. “Esse caos que se transformou a saúde noestado é o resultado do que não foi feito há vinte, trinta anos que foram seavolumando com o passar dos tempos até chegar à situação que se encontra hoje.Mas o trabalho feito de forma organizada, planejada e é o que o governo estáfazendo agora. Só assim esses problemas poderão ser superados”, disse.

 
Autor : Assessoria de Comunicação